top of page

Conheça os principais sistemas de impressão para rotulagem

Da serigrafia ao digital, saiba as vantagens e desvantagens de cada sistema de impressão de rótulos.


Durante o desenvolvimento de um produto, equipes técnicas e de design se debruçam sobre suas mesas e criam em acordo a arte e embalagem. Um ponto crucial para garantir a boa apresentação do produto é escolher o sistema de impressão que mais se adequa a sua proposta, confira as principais características de cada um:


OffSet

O princípio básico da tecnologia é a gravação de uma chapa em que por uma reação química algumas áreas se tornam receptivas a tinta e repelem água, e algumas áreas absorvem água e repelem tinta. A tinta absorvida nas áreas da imagem é transferida para a blanqueta e, então, para o substrato.

Essa tecnologia tem baixo custo de gravação das matrizes e grande qualidade das cromias e degradês. Porém gera tons chapados menos consistentes e possui menor cobertura de tinta que alguns processos alternativos.


Impressão Digital

Pequenas tiragens são o foco dessa tecnologia hoje, mas um grande potencial existe já que é possível imprimir diferentes artes. Existem duas tecnologias principais: a ink jet (jato de tinta) e offset digital (qualidade superior).

As imagens são gravadas em uma chapa, como no offset e transferidas para uma blanqueta antes de ir para o substrato. Com esse sistema, a qualidade de cromias e degradês é grande, mas há limitação no que tange cobertura de tinta e tons chapados.


Letterpress

Similar ao Offset convencional, com duas diferenças básicas. A primeira é que esse sistema usa clichês gravados em relevo, não chapas planas. A segunda é que o processo não usa água, a tinta pastosa é aplicada nas áreas de imagem do clichê e em seguida transferida para o substrato.

Devido a suas características, esse sistema deve ser evitado em projetos com degradês ou cromias finas, seu ponto forte é o baixo custo da gravação dos clichês.



Flexografia

É o sistema mais popular na impressão de rótulos. Tem grande qualidade e um bom custo-benefício. Usa um método similar a um carimbo, os clichês são fixados nos rolos de impressão, as partes que não serão impressas são retiradas na gravação das matrizes, o que deixa as áreas a serem pintadas fiquem em alto relevo. Uma camada uniforme de tinta é espalhada por um cilindro de anilox e transferida para o substrato. Apresenta bons resultados em traços e chapados, apresenta dificuldades com cromias e degradês mas elas são superáveis através de um bom trabalho do setor de pré impressão.


Rotogravura

Muito utilizada na impressão de embalagens, essa tecnologia avançou para o mercado de rótulos. Imagens reticuladas e degradês suaves são a grande força desse sistema.

Um cilindro metálico é corroído por uma reação química que deixa as áreas da imagem em baixo relevo. Áreas mais profundas recebem mais tinta e imprimem partes mais escuras.

O processo de corrosão do cilindro tem custo elevado mas ele tem longa durabilidade, sendo recomendado em tiragens longas.


Serigrafia

Muito utilizada na produção de adesivos, funciona também como processo complementar a outros sistemas. Consiste na utilização de uma tela que permite a passagem da tinta apenas nas áreas da imagem, com uma espátula. Pode ser feita em uma etapa á parte.

Esse sistema minimiza problemas com desbotamento por permitir aplicar camadas mais espessas de tinta, tem boa cobertura do branco e permitem a criação de relevos ou textos em braile.


Cold Foil

Um processo novo que tem se destacado para aplicação de películas metalizadas. A aplicação é feita da seguinte forma: um adesivo é aplicado no substrato para onde o foil será transferido somente nas áreas adesivadas (com excelente fixação mesmo em linhas finas) por meio de um cilindro de pressão.

Essa tecnologia tem a gravação da matriz mais rápida do que o hot stamping, o que explica sua ascensão rápida.

Pode ser aplicado numa estação de impressão flexográfica, offset ou letterpress.


Hot Stamping

É a transferência de uma película decorativa (foil) para o substrato através de pressão e calor. O foil é pressionado por um clichê aquecido, a camada externa dele é um adesivo termoativável que em contato com o substrato adere a ele.

Normalmente esse sistema é integrado a outras tecnologias mas é possível utiliza-lo sozinho em artes sem retículas. Os tons prateados e dourados são os favoritos mas há uma vasta gama de cores disponível nesse processo, incluindo efeitos holográficos.


Comments


bottom of page